quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Apresentação do TCC


Ufa... Aliviada!

Depois de passar o último feriado estudando, tirar uma folga no trabalho só para finalizar a apresentação de slides e me preparar para a grande noite, graças a Deus tudo saiu como o planejado.
Todas as equipes se superaram com a explanação de empreendimentos totaltamente viáveis.
Trabalhos diferenciados  e com ampla visão de mercado. Entre as apresentações, 02 buffets, 02 agências de turismo, 01 construtora, 01 empresa de projetos, 01 loja de produtos naturais e 01 instituição financeira.
Modéstia à parte, eu e minha "sócia" Lidiane arrasamos na apresentação do nosso projeto... Confesso que sou um pouco exigente, e por isso nossa parceria deu tão certo. Idéias parecidas que se completaram ao longo de 2 anos resultaram na VOCÊ INVEST, um empreendimento fictício elaborado com todo cuidado e embasado em pesquisa do mercado local. Cada detalhe realizado com muita dedicação e capricho... a monografia, a apresentação de slides, a capa do cd, o uniforme e o portfólio da empresa... tudo personalizado para dar vida, realidade ao empreendimento, transmitindo à banca e aos colegas credibilidade, confiança e segurança.
Acabou... Respiro aliviada, uma sensação de realização, felicidade por mais uma etapa vencida. Mas ao mesmo tempo, dá uma dor no peito só em pensar que a partir de amanhã a rotina muda... Sentirei muita falta da correria, da bagunça, dos trabalhos, das palestras, dos lanches no Cascão (né, Dri?!), dos sorvetes e chops do barzinho da esquina, dos churrascos e até dos estudos, mas sentirei mesmo a falta de cada pessoa que convivi  e aprendi a gostar, cada uma com suas qualidades e defeitos, e das muitas experiências que ali vivenciei e lições que aprendi. E como aprendi...
Obrigada a todos... colegas de facul pelo companheirismo e pela união, que independende de qq diferença, nossa turma demonstrou em diversas situações. À minha família e namorado pela paciência, principalmente nesses últimos dias em que eu só respirava "ação empreendedora"...
Valeu à pena... Valeu muito à pena!!! Estou ansiosa para o nosso reencontro em janeiro de 2011...

Até lá! Carinhosamente, Le

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O BRASIL COM SERRA


"Votamos em Serra! Ele tem história. Serra está na origem de obras fundamentais nas áreas da Cultura, da Educação, da Saúde, da Infraesrutura..."

domingo, 24 de outubro de 2010

Churras Formandos 2010



Extravasa, libera e joga tudo pro ar.

Eu quero ser feliz antes de mais nada.


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Feira do Jovem Empreendedor Joseense 2010

Congresso Internacional de Educação 2010



“Prioridade à educação científica: uma decisão política”







Palestrante: Juan Carlos Tedesco 
Universidade de San Martin – Buenos Aires










A preocupação para melhorar a qualidade da educação afeta, hoje, a maior parte dos países do mundo. A literatura internacional sobre educação e as declarações dos responsáveis pelas decisões nesse campo, permitem concluir que ninguém está satisfeito com a oferta educativa disponível: dirigentes políticos, docentes e as famílias. Em alguns casos esta insatisfação se justifica porque consideram que a educação está associada aos desafios do passado e não aos anseios que provêm das novas condições sociais, culturais e econômicas da “sociedade do conhecimento”.


terça-feira, 19 de outubro de 2010

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Suspirando...

Quem sabe eu ainda
Sou uma garotinha



Esperando o ônibus
Da escola, sozinha...


Cansada com minhas
Meias três quartos
Rezando baixo
Pelos cantos
Por ser uma menina má...

Quem sabe o príncipe
Virou um chato
Que vive dando
No meu saco


Quem sabe a vida
É não sonhar...




Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem
Pois sou criança
E não conheço a verdade

 
Eu sou poeta
E não aprendi a amar
Eu sou poeta
E não aprendi a amar...
Bobeira
É não viver a realidade





E eu ainda tenho
Uma tarde inteira
Eu ando nas ruas
Eu troco um cheque
Mudo uma planta de lugar
Dirijo meu carro
Tomo o meu pileque
E ainda tenho tempo
Prá cantar...



 Quem sabe eu ainda sou
Uma garotinha!

(Malandragem - Cassia Eller)



Desde a adolescência, digo que esta é a música da minha vida.... Não que seja pra levar cada estrófe ao pé da letra. Mas, ainda hoje, aos quase 30, por vezes, alguns versos (em destaque) me vem à mente como a trilha sonora de uma mulher ainda menina... Ou melhor, uma eterna menina... Menina esta que ainda sonha (e muito)... E, que hora ou outra se frustra...
O problema não são os outros... Talvez seja meu modo, ainda um tanto quanto "encantado", de enxergar o mundo. Contos de fadas são lindos, ainda acredito neles... Até posso dizer que vivo um... Tenho um lindo príncipe (e que não é chato... rs), companheiro  e apaixonante, nãoo sou uma menina má, porém ainda preciso de MALANDRAGEM... Uma pitada apenas, o suficiente para que eu não viva de sonhos irrealizáveis, para que eu não me decepcione comigo mesma por não alcancar algo que na verdade não passou de fruto da minha imaginação, dos meus devaneios típicos de menina.
Quero sim, manter para sempre este ar de moleca, mas quero tambem a serenidade da mulher madura... Aquela que tira de letra pequenas decepções, que vive a realidade sem depositar expectativas nas atitudes alheias...
Quero não sentir o peito apertado, um nó na garganta e a sensação de estar sendo infantil. Quero não suspirar por banalidades, e não fazer tempestade em copo d'água. Quero aprender a usar mais a razão, e sofrer menos com o coração...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Homenagem bem humorada - Dia do Professor

DE ONDE VEM A LONGEVIDADE DOS PROFESSORES...















O SEGREDO...










Um médico saiu a caminhar e viu essa velhinha da foto sentada no banco de uma praça fumando um cigarrinho.



Aproximou-se e perguntou:



"Nota-se que está bem, qual é seu segredo??



Ela então respondeu:



"Sou PROFESSORA, durmo às 4 da manhã elaborando provas, me levanto às 6. Nos fins de semana não pratico esportes, não me divirto. Trabalho corrigindo avaliações, organizando as aulas, preenchendo diários de classe, fazendo planejamentos, procurando músicas para passar para os alunos, procurando vídeos na INTERNET para não deixar as aulas MONÓTONAS, não tenho tempo para os meus filhos, só para os FILHOS DOS OUTROS, todo final de semana estou sempre com algo para elaborar ou corrigir, inclusive nos feriados, como hoje 1º DE MAIO,DIA DO TRABALHO. Não tomo café da manhã, não almoço e nem janto porque não dá tempo.



O doutor então exclamou:



- "Mas isso é extraordinário". A senhora tem quantos anos?



37, respondeu-lhe a velhinha...


Foto à parte, esta mensagem muitas vezes é a pura (e dura) realidade.
Parabéns a todos que dedicam sua vida a formar um mundo melhor!



terça-feira, 6 de julho de 2010

Como falir uma Seleção?

Bem pessoal, a Copa chegou ao fim para todos nós. O Brasil encerrou sua participação ao perder para Holanda por 2 a 1 em um jogo pra lá de estranho.

Como comparar a atuação do primeiro tempo com a do segundo? Como uma equipe de alto desempenho pode oscilar tanto em termos de performance? Quem será que foi o culpado?

O Brasil e principalmente Dunga, foram massacrados neste final de semana por todos. Mas e se o jogo terminasse no primeiro tempo? Teríamos um Brasil vencedor que jogou seu melhor jogo até então e que tinha grandes chances de vencer a Copa. Eu passei o intervalo achando que o jogo estava fácil e que teria uma goleada no segundo tempo. O que aconteceu então?

Em um lance de sorte – ingovernável*, o Brasil sofreu o primeiro gol e logo depois o segundo. O jogo mudou e o Brasil não conseguiu responder com agilidade e eficiência à mudança.

É claro que faltou flexibilidade para os jogadores se adequarem à situação. Mas muito mais que isto, faltou o líder que assumisse a situação, fosse referência para o time e cobrasse a mudança com propriedade.

Dunga acordou no meio do seu pior pesadelo: sem os craques que ele achou que iriam ser os líderes estarem 100%, sem reservas para substituir e sem o controle emocional necessário para agir frente a situações adversas.

E perdemos mais uma Copa. Não é o fim do mundo e a vida continua. Mas que o próximo gestor da Seleção Brasileira tenha as competências necessárias – as técnicas, comportamentais e gerencias – para gerenciar um time esportivo que leva nos pés toda uma nação. Que não possa sucumbir frente a situações inesperadas e adversas – algo que todo gestor atual lida todos os dias – e que possa gerenciar com mais leveza, porque em se tratando de arte é necessário o processo ter prazer, ludicidade, descontração e propósito. Deve-se cobrar, brigar e lutar para criar este ambiente criativo.

A pressão deve existir pois ela é natural em ambientes competitivos. Mas pressão demais atrapalha em muito o processo criativo – quem diga o jogador de Gana que perdeu o pênalti e a classificação no que seria o último lance do jogo, jogando a baixo a última esperança de todo um continente seguir na Copa.

A criatividade se manifesta em ambientes lúdicos, desburocráticos, acolhedores, informais e com tolerância ao erro – todas características não valorizadas pelo ambiente da Seleção.

Falta de flexibilidade + falta de liderança + falta de um ambiente criativo + um gestor com limitações emocionais = desastre corporativo e falência.

Que o Brasil consiga identificar o melhor gestor e comemoremos juntos a queda da nossa rival Argentina com Maradona. Porque pior que perder a Copa seria passar 4 anos engolindo a Argentina Campeã. Viva Alemanha!!!

Texto de Ricardo Nakai, palestrante e consultor organizacional, extraído do site Você S/A.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

A grande lição da nossa seleção

Acompanhando a evolução da seleção brasileira nessa Copa, podemos observar um grande crescimento que a equipe demonstrou em seu último jogo. Uma equipe mais coesa, jogadas ensaiadas e mais elaboradas e o domínio do jogo, foi o que marcou o primeiro tempo da partida contra a Holanda.

Com o primeiro gol do adversário, foi notório o descontrole emocional em toda a equipe, que acabou dando todo poder ao adversário. O time se desestruturou em campo e naturalmente acabou perdendo seu propósito: passar para próxima fase da Copa.

Refletindo sobre a atuação de nossa seleção podemos perceber que agimos da mesma forma em nossas vidas.

Quantas situações experimentamos em nossas vidas nas quais saímos derrotados por perdermos o controle emocional? Quantas situações nós perdemos o poder ao entregá-lo ao adversário?

Assim como a nossa seleção que atuou no primeiro tempo com todo seu poder, no segundo tempo nos mostrou como podemos perder todo esse poder.

Essa foi a grande lição que a nossa seleção deixou nesta Copa. Uma lição não apenas para nós brasileiros, mas para todo o mundo.

A lição de que o verdadeiro poder reside dentro de cada um de nós. Mas qual é esse verdadeiro poder, seja de uma equipe, seja de cada um de nós? A nossa paz interior.

De nada vale tanto esforço em estudar, treinar, se perdermos nosso controle emocional, nossa paz interior diante de qualquer desafio em nossa vida. Seja numa reunião, num teste, numa entrevista, num jogo, enfim, em qualquer situação. Colocamos tudo a perder quando damos poder para as situações.

Não existem culpados nem perdedores, mas existem lições e aprendizados.

Naturalmente somos especialistas em críticas e julgamentos e sempre procuramos culpar alguém por nossos insucessos. Nesse processo, frequentemente, deixamos de enxergar que temos perdido muitas oportunidades de nos tornarmos bons profissionais, bons cidadãos e naturalmente bons seres humanos, por tentar achar as justificativas fora de nós. Sendo que elas estão dentro de nós.

Deveríamos começar a entender que não existem fracassos em nossas vidas, mas "feedbacks" de que algo estamos fazendo errado. E a partir da percepção das derrotas ou dificuldades como "feedbacks" poderemos fazer novas escolhas amanhã.

Que todos nós, seres humanos, possamos aprender com nossos erros e possamos enxergar uma nova oportunidade de fazer melhor amanhã por nós mesmos, pelas pessoas e pelo nosso planeta.

Texto do terapeuta e consultor Marcos Adriano Infantozzi


Valeu, meninos!!! Pela garra, determinação...
Dessa vez não deu, mas valeu o exemplo, a força de vontade.
O importante é manter a humildade e dignidade perante a derrota,
coisa que só os fortes conseguem. E vcs conseguiram transmitir isso.

Brasil... Sempre!!!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

quarta-feira, 12 de maio de 2010

À flor da pele



Não. Não estou de TPM. Tampouco grávida. Estou sensível... e ponto final.
Instável, agressiva, chorosa, com raiva, magoada, calada... CONFUSA. Esta não sou eu!
Após um ótimo dia, eis que a melancolia me pegou. E eu, sem perceper, permiti. Deixei o mal-humor tomar conta da minha razão e emoção em frações de segundo.
Como diz o ditado: "Quem fala o que quer, ouve o que não quer". Foi o que me aconteceu... Eu e minha boca grande! E meus rompantes de rispidez...
Admito: hoje estava realmente "chata". Um tanto esquiva e alheia ao "Clube da Luluzinha". Não conseguiria achar graça nem da melhor piada.
Aquela garota alegre e falante às vezes também tem seus momentos de tensão, de fraqueza. Momentos em que até os melhores conselhos se tornam as piores críticas. Momentos em que nem uma palavra amiga, se quer ouvir... Momentos em que a melhor palavra é o silêncio, a melhor ação é o abraço.
Obrigada do fundo do coração a quem me agüentou esta noite, sem apontar meus defeitos e respeitando os meus limites.
Desculpas aos que agredi verbalmente, mesmo sem querer.
A noite passou. A "chatice" terminou. O desabafo findou.
Nada como uma boa noite de sono para recarregar as energias.


Para refletir:


"Pensa com sensatez antes de dar um passo... Ele pode não ter retorno"


"Aquele que procura um amigo sem defeitos, termina sem amigos" (Provérbio turco)



 Bons sonhos! Lele

sexta-feira, 7 de maio de 2010

AUTO-ANÁLISE

É sempre bom auto-avaliar. Melhor ainda é fazê-la de forma espontânea, sem prévios planejamentos. E isso ocorreu-me esta semana. Como? Lendo "Augusto Cury". Em 2 semanas, viajei no tempo. Revivi experiências únicas desde minha amnésia pós-parto. Tudo o que passei e superei desde então... Anos de dependência de estabilizadores de humor... Eu, que sempre fui tão feliz... Estranho, né?! Talvez.

Fatos ocorrem em nossas vidas para que possamos nos conhecer verdadeiramente. Você se conhece profundamente? Já treinou seus sentimentos e emoções mais instáveis? Hoje, muito segura e confiante, posso dizer SIM. Mas esta não é uma resposta absoluta e eterna... É uma resposta que temos de reafirmar constantemente. Você faz isso?

Há pouco tempo, recebi em pdf o livro "Dez leis para ser feliz" de Augusto Cury. É um daqueles livros de cabeceira... Com sábias palavras para qualquer momento do dia. Melhor, de cabeceira não, de bolsa: deve ser levado para qualquer canto, como a Bíblia. São dicas para viver com mais leveza, menos preocupações. Com mais qualidade de vida.

Não é um simples livro de auto-ajuda. É muito mais que isso. É tão bom e revigorante que não me contentei em tê-lo no computador. Comprei uma edição de bolso. Reli há exatamente 2 semanas. E na seqüencia li "Seja líder de si mesmo", também do Cury. As palavras se perpetuam na linha de pensamento do autor. Mas não de forma exaustiva e chata. Pelo contrário, de uma maneira que você vive intensamente a experiência relatada. Você se transporta para as vivências passadas e se prepara para novas aventuras... Com técnicas para lidar melhor com os conflitos internos. Aprendendo gerenciar pensamentos e emoções.

Ontem, ao terminar essa magnífica viagem pelo meu interior, fiquei imensamente feliz. Descobri que já uso as técnicas apresentadas pelo autor há algum tempo, mesmo sem tê-las antes conhecido. Sim, sou líder da minha própria vida, e gerencio meus pensamentos. Não, não sou a mulher-maravilha... Ainda sou um tanto quanto impulsiva. E confesso: gosto disso! Desse meu jeito espivitado e espontâneo de ser... É a minha essência. Ainda choro sem querer na frente das pessoas, principalmente de raiva. Ah, emoção! Esta é mais complicada gerenciar... Mas ninguém é perfeito, né!?

Há 3 anos me libertei dos medicamentos e de uma doença que para muitos não tem cura. De algo que se tem de aprender a conviver para o resto da vida. Mas nada é eterno. E nada é impossível. Essas palavras (eterno e impossível) só existem para aqueles que acreditam nelas, ou melhor, que não acreditam em si mesmos.

Auto-controle, auto-confiança, auto-estima e amor próprio se praticam diariamente. O segredo: FÉ. Nunca perca a fé, em Deus e em si mesmo. E nunca se acomode! Afinal:

"Nunca se pode concordar em rastejar quando se tem o ímpeto de voar".

Eu posso voar! E você? Use sua imaginação...

Força Sempre! Lele

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Como estrelas na Terra, toda criança é especial


Taare Zameen Par – filme da produção de Bollywood - conta a história de uma criança que sofre com dislexia e custa a ser compreendida. Ishaan Awasthi, de 9 anos, já repetiu uma vez o terceiro período (no sistema educacional indiano) e corre o risco de repetir de novo. As letras dançam em sua frente, como diz, e não consegue acompanhar as aulas nem focar sua atenção. Seu pai acredita apenas na hipótese de falta de disciplina e trata Ishaan com muita rudez e falta de sensibilidade. Após ser chamado na escola para falar com a diretora, o pai do garoto decide levá-lo a um internato, sem que a mãe possa dar opinião alguma. Tal atitude só faz regredir em Ishaan a vontade de aprender e de ser uma criança. Ele visivelmente entra em depressão, sentindo falta da mãe, do irmão mais velho, da vida… e a filosofia do internato é a de “disciplinar cavalos selvagens”. Inesperadamente, um professor substituto de artes entra em cena e tão logo percebe que algo de errado estava pairando sobre Ishaan. Não demorou para que o diagnóstico de dislexia ficasse claro para ele, o que o leva a por em prática um ambicioso plano de resgatar aquele garoto que havia perdido sua réstia de luz e vontade de viver. O filme é uma obra prima do até então ator e produtor Aamir Khan, já macaco velho nas bandas de Bollywood. Pela primeira vez, após a atuação em sucessivos filmes que lhe deram a fama em anos recentes, Khan quis arriscar-se como diretor e impressionou pela qualidade e sensibilidade neste filme. Ele não só dirige TZP, como produz, com sua Aamir Khan Productions, e também atua no papel do professor substituto. Ishaan Awasthi é interpretado pelo estreante Darsheel Safary, que também surpreendeu pela qualidade de sua atuação. Merecidamente, Safary ganhou o prêmio de melhor ator pela crítica, no mesmo Filmfare Awards deste ano de 2008. Virou celebridade. Além dos prêmios de melhor filme e melhor ator pela crítica, TZP ganhou também o prêmio de melhor direção, para Aamir Khan, e de melhor letra de música. O filme, embora não tenha as exóticas cenas de dança, tem músicas que aparecem como clipes, com imagens que não só ilustram a melodia, mas também fazem parte do decorrer da história. Dentre as músicas (muito boas, por sinal), Maa, que significa “mãe” em hindi, recebeu o prêmio de melhor letra.

“Taare Zameen Par – Every Child is Special“, o que significa, exatamente, “Estrelas na Terra – Toda Criança é Especial”. Embora o filme fale diretamente sobre o caso de uma criança, ele é uma mensagem para o mundo sobre o verdadeiro papel de um educador e formação de um novo ser humano – veja que não digo professor, mas educador. Ao afirmar no título que toda e qualquer criança é especial, que são como estrelas na Terra, a proposta é trazer a idéia de que não podemos negligenciar a diversidade e preciosidade dos projetos de gente de nosso mundo, pois são eles que fazem o futuro.

O filme vai muito além de tocar na sensibilidade de ser criança e educador; ele manda uma mensagem de nosso papel como ser humano – o que na Índia não é tarefa fácil. Aliás, poucos são os próprios indianos que realmente reconhecem o valor desse filme, muito poucos.

Em muitos momentos, Aamir Khan optou por utilizar recursos caricatos para os personagens do filme, sobretudo em relação aos professores de ambas as escolas por que Ishaan passa. Ainda que personagens caricatos possam trazer um grau de irrealidade para a trama, em Taare Zameen Par a caricatura contribui para aumentar a sensação de sofrimento, opressão e incompreensão vividos pelo garoto disléxico. No conjunto, caricaturas e clipes de música ilustram uma ficção que de irreal nada tem; qualquer semelhança entre a ficção e a vida real é mera coincidência, diz, antes de o filme começar. Mas o próprio professor Ram Shankar Nikumbh (interpretado por Aamir Khan) lembra às crianças que Einstein, Agatha Christie, Da Vinci e Tomas Edison eram disléxicos e sofreram na infância – TZP é história da vida real. Antes fosse apenas ficção.





Texto extraído e adaptado do blog




Veja o trailer do filme:





Um filme fascinante... Pura EMOÇÃO! Principalmente pra quem já tem filhos, como eu. Chorei do início ao fim. Mas também dei boas risadas em algumas situações.
É incrível o modo como a arte e a educação são importantes ferramentas de estímulo ao desenvolvimento de uma pessoa quando aplicadas intencionalmente para a sua felicidade, independente do problema ou desvio que tiver. Um exemplo de amor e solidariedade.
Vale a pena assistir!



sábado, 3 de abril de 2010

Terapia do Amor - OFICINA

O AMOR EM SUA PLENITUDE

Ao contrário do que possa parecer, o PROJETO TERAPIA DO AMOR vai muito além das deficiências de um relacionamento entre casais. É um projeto criativo e humanitário, que visa  levar alegria aos hospitais e casas de repouso, através de simples visitas a crianças e adultos. É um projeto que leva a essência do amor na sua mais pura forma, a CARIDADE.

Quem já assistiu Patch Adams - O Amor é Contagioso? É um filme maravilhoso capaz de expressar perfeitamente a visão do projeto, o amor em sua plenitude, sem sexo, distinção de raça ou preconceitos. Eu indico! A partir deste filme cresceu em mim o entusiasmo, a vontade de me tornar alguém melhor através do VOLUNTARIADO. De doar sem olhar a quem. De fazer alguém feliz, nem que seja por um instante. Mentiria se dissesse que me faltou oportunidade, pois esta somos nós quem criamos... Na verdade não sei o que faltou. O tempo foi passando, o coração se aquietando, a vontade se acomodando. Coisa que nunca podemos deixar acontecer.

Enfim, o belo projeto surgiu, inovador na pacata cidade de Caçapava, da determinação de um casal de palhaços (Dr. Bódin e Drª Tóim), ou melhor, Doutores da Alegria. Conheci este lindo trabalho e o casal Val e Agnes de Paula quando ainda trabalhava na recepção do hospital. Era o click que faltava para despertar meu coração. Desta vez não deixaria a oportunidade passar batida (e não deixei!).

Peguei um cartão do casal e liguei para a Agnes. Cá estou, na OFICINA DE CONTAÇÃO DE ESTÓRIAS, aprendendo técnicas teatrais para melhorar expressividade e dicção. Mais um sonho prestes a se realizar: ser uma DOUTORA DA ALEGRIA.

Hoje pela primeira vez na vida visitei um lar de idosos. Uma experiência emocionante que pude compartilhar com minha filha de 10 anos. Ela amou, sentindo-se em casa. Incrível! A Ana Beatriz (minha filhota linda) tem uma paixão por crianças da terceira idade desde pequenina, e fez uma verdadeira festa em sua primeira visita ao lar de idosos Vl. Vicentina. Não sei o que mais me tocou: a experiência variada das pessoas que ali vivem ou a empolgação da Ana em levar alegria a todos. Foi lindoooooo, GRATIFICANTE... Um sábado bem diferente!! Aguardo ansiosa o próximo encontro.

A OFICINA DE CONTAÇÃO DE ESTÓRIAS ocorre todo sábado das 14h às 18h no Centro Cultural José Francisco Natali, à Av. Dr José de Moura Resende nº 475 - Vera Cruz, Caçapava/ SP. Maiores informações: http://www.projetoterapiadoamor.blogspot.com/



quinta-feira, 1 de abril de 2010

TUDO NOVO DE NOVO

NOVA FASE

Resolvi: vai ser "tudo novo de novo"!! Já que a vida é feita de escolhas (sempre), hoje dei um passo à frente e fiz a minha. Entrega de documentos: NOVO EMPREGO. Aceitei sim! As oportunidades estão à nossa volta. Cabe a cada um de nós saber aproveitá-las no momento certo. E este, sem dúvida, é o MEU MOMENTO. Tempo de virar a mesa, dar um giro 360°, dar um basta nas coisas não tão boas e abrir os braços para novas experiências. Aquela frase "Deus não escolhe os capacitados, capacita os escolhidos" é perfeita. Quando iria eu imaginar ser convocada tão breve em mais um concurso? Entre a interminável maratona de provas e boas classificações, fui chamada por aquele que menos esperava (o último concurso prestado - sem estudar, na raça e na fé)... Resta dizer AMÉM e me entregar de corpo e alma ao novo, ao desconhecido... mais uma vez. Esta sou eu: uma menina-mulher guerreira sempre disposta a ARRISCAR. Adoroooo esta sensação! Super entusiasmada...

DESPEDIDA

Não há como iniciar uma nova etapa na vida sem olhar para trás. E fazendo uma breve retrospectiva desse período (2 anos e 2 meses cronometrados... rs), tenho muito mais a agradecer do que reclamar. Não sou dessas que cospe no prato que comeu. Trabalhar num hospital me fez crescer muito profissionalmente. Pessoalmente então... Em meio a tantas doenças, a tantas dores e tristezas, não há como ficar alheio ao problema dos outros. Posso dizer que o maior aprendizado é a humanização da saúde. Claro que nem tudo são flores, que nem todos os enganjados são tão humanos como deveriam ser... Mas existem sim muitas pessoas que trabalham por e com amor.
Saio da FUSAM com a sensação de dever cumprido... Muito mais, de missão cumprida! Em todo o tempo em que estive ali, fiz muito mais do que uma simples função de auxiliar administrativo I exige. Fui ouvinte, amiga, conselheira e às vezes até dei uma de psicóloga (rs). Claro que com o meu jeito espivitado de ser... Não vou mentir. Muitas vezes chorei (de raiva, de indignação, de tristeza, de emoção e até de alegria). Mas confesso que os momentos em que gargalhei, em que consegui levar alegria às pessoas calejadas pelo sofrimento, são os que predominam em meu coração e mente. Entre gafes, sufocos, trancos e barrancos, fiz ali grandes amigos, que levarei pela vida afora. Não citarei nomes, pois são muitos... Mas levo comigo o melhor de cada um, lições de vida extraídas de um curto espaço de tempo, que pareceu por vezes ser eterno.
Saio da FUSAM em uma fase de mudanças na própria instituição. Fase da qual participei de certa forma antes da implantação, através de cursos e treinamentos. E acreditei! E continuo acreditando... Como munícipe, que a qualidade do serviço melhore a cada dia mais. Como ex-colaboradora, que a valorização de funcionários saia do papel e se torne realidade.
Saio da FUSAM emocionada! Sentindo-me querida. E isso é tão bom... Faz um bem pro ego... Modéstia a parte, sei que fiz por merecer. Com todos os meus defeitos, sempre fui humilde, tratando todos igualmente, sem distinção de cargos e posições. E isso faz a grande diferença. RESPEITO, HUMILDADE e SIMPATIA.
Adeus FUSAM... Até breve amigos queridos... Chegou a hora de levar a minha alegria pra outros ares. A alegria da moleca estabanada. Chegou a hora de aprimorar e aumentar meus conhecimentos. E mostrar que além da simpatia e educação há muita competência e vontade de crescer.

"CHEGOU A HORA, É AGORA E AQUI"
(Legião Urbana)

sexta-feira, 26 de março de 2010

A hora é agora

Gestão por Competências

Atualmente a Gestão de Pessoas é focada na Gestão por Competências, tanto individuais como corporativas. Durante uma aula bastante dinâmica de Desenvolvimento de Pessoas, vale compartilhar alguns conhecimentos adquiridos...


O futuro começa agora. Saiba o que é e como funciona a Gestão por Competências e como ela pode fazer a diferença nas organizações.
Cada vez mais o sucesso das empresas depende da clareza e sintonia entre os interesses da companhia e seus colaboradores. A Gestão por Competências ajuda os envolvidos a desenvolverem capacidade, habilidades e atitudes (o famoso "CHA") fundamentais para o crescimento da empresa. É a garantia de sucesso pessoal e profissional para todos.


Mas o que é Competência?

Competência é a inteligência prática de situações que se apóiam sobre conhecimentos. As competências individuais estão associadas a um conjunto de fatores, como vivências, experiências, formação social e familiar, cultura e valores. Ser competente é saber agir de forma responsável e ter o reconhecimento dos outros mediante os resultados alcançados.


Algumas Competências Individuais

Inovação, rapidez, tranquilidade, competitividade, proatividade, flexibilidade, criatividade, comprometimento


Olho na anticompetência

Um único comportamento negativo pode anular uma série de qualidades. Conheça essas características e aprenda a corrigi-las.


1. ADMINISTRAÇÃO EM EXCESSO

Confiar na própria capacidade é uma qualidade. Em excesso, pode causar dificuldades para trabalhar em equipe. A pressão corporativa tende a estimular esse problema, já que as pessoas têm medo de errar. Quem não detecta isso a tempo pode comprometer a produtividade do time. Um administrador excessivo não potencializa as competências do grupo, desapontando pessoas e desperdiçando talentos. Se é o seu caso, que tal escolher tarefas para distribuir ao time? Aumente a dose aos poucos. Assim, vai tomando confiança e quando perceber estará delegando mais.



2. INSENSIBILIDADE AO OUTRO

Não deixar as pessoas à vontade ou não prover condições de aprendizado é uma anticompetência relacionada à insegurança. Um líder assim pode ser um problema, já que, por desconhecer a equipe, barra promoções e não consegue identificar sucessores. A hostilidade acaba afastando as pessoas e prejudicando os resultados da área. Não deixe de dar atenção às reações dos outros em relação às suas atitudes.



3. POSTURA DEFENSIVA

Ninguém gosta de críticas. Uma postura defensiva em relação a elas, porém, não resolve nada. Para quem não resiste a uma crítica, cuidado! Melhor um feedback negativo em tempo do que uma demissão por incompetência.



4. ARROGÂNCIA

Insegurança também é a base aqui. Valorizar-se demais e contar vantagem é uma defesa às próprias fraquezas. Poucas pessoas são capazes de admitir esse defeito, mas, se lá no fundo você sabe que sofre desse mal, cuide do ego e avalie suas deficiências. Depois, observe as habilidades das pessoas ao seu redor, valorizando o que cada uma tem para colaborar no seu desenvolvimento.



5. EXCESSO DE DEPENDÊNCIA DE UM ÚNICO TALENTO

Essa anticompetência está muito relacionada ao sistema de ensino, que induz o profissional a desde cedo focar nas habilidades natas. Os efeitos podem ser desastrosos. Se o profissional for colocado em um cargo para o qual não está preparado, suas deficiências estarão mais expostas e sua imagem pode ficar prejudicada.







domingo, 21 de março de 2010

Reencontrando amigos



Infância, adolescência... Amigos de uma vida. A gente cresce e toma rumos diferentes. Uns continuam mais próximos, mantêm a afinidade, o contato e alguns projetos em comum. Outros acabam se afastando, se perdendo no tempo e na distância. É notório que eu me enquadro na 2ª opção. Às vezes me vem Barão Vermelho à cabeça: "Meus bons amigos, onde estão? Notícias de todos quero saber. Cada um fez sua vida de formas diferentes...", e o que me conforta é saber que, independente do caminho escolhido, estão todos bem.
Hoje tive a oportunidade de matar a saudade, mesmo que por pouco tempo, de algumas pessoas queridas. Pessoas muito importantes, que fizeram parte de uma fase mágica da minha vida: a adolescência.
Hoje a Mari casou! Linda... Numa cerimônia super clássica (simples e sofisticada). A Sophia, uma mocinha. As meninas, como sempre lindas e unidas.
Confesso que, ao receber o convite, tive dúvida em aceitá-lo. Passaram-se mil coisas pela minha cabecinha... (rs). E dentre vários devaneios, resolvi ser sensata e ir.
Troquei de plantão, me dei um dia de princesa e fui. Curti com minha filhota, meu amor e os antigos amigos. Dancei bastante, joguei conversa fora, bebi (até whisky!) e tirei fotenhas (claro!).
Após esta noite animada e um pouco nostálgica pra mim, afirmo: não me senti um peixe fora d'água, como achei que me sentiria. Os amigos continuam os mesmos... Eu, que com o passar dos anos, me afastei. O tempo não volta, mas a amizade é eterna. Amo todos, talvez não com a mesma intensidade de 15 anos atrás, mas com o mesmo carinho de sempre.



sexta-feira, 19 de março de 2010

Coração disparado e apertado...

É... Realmente, tudo ocorre no tempo de Deus.
A gente faz planos, às vezes fica impaciente com a demora das realizações, e quando menos se espera somos surpreendidos.
Sexta 19, 17h47... Um telegrama! Fui convovada em mais um CP. E agora, o que fazer???
Mesmo sabendo que isso mais dia menos dia ocorreria, não sei o que pensar. Tampouco como sentir... Coração disparado e apertado. Um mix de emoções. Talvez um pouco de decepção por não ter ocorrido no tempo que previ, ou que gostaria que acontecesse... Mas também felicidade, por firmar mais uma vez a certeza da minha capacidade.
Sei que é um pouco de comodismo, medo do novo talvez... Sei lá. Só sei que o previsto chegou mais cedo. E mais uma vez encontro-me num dos momentos decisivos da minha vidinha... Momento de pesar os prós e contras das partes envolvidas, colocar tudo na ponta do lápis mesmo, e pedir sabedoria e dissernimento para fazer a melhor escolha. E agradecer, né!?

Na fé. Bjks, Le

segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher

PARABÉNS A TODAS NÓS!


Podemos não ser a "mulher-maravilha", mas sem dúvida, somos super MULHERES.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Sou metal, raio, relâmpago e trovão

"Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então

Tudo passa, tudo passará
Tudo passa, tudo passará
Tudo passa, tudo passará

E nossa história não estará
Pelo avesso assim, sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
Até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos
O mundo começa agora
Apenas começamos"

(Metal contra as nuvens - Legião Urbana)


segunda-feira, 1 de março de 2010

Tudo passa... Tudo passará...

"Vai com os anjos, vai em paz... Era assim todo dia de tarde, a descoberta da amizade... Até a póxima vez."







quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Pense bem antes de falar

As palavras se tornam mais eficazes quando usadas com cuidado, com calma


As palavras têm poder e, dependendo de como são ditas, podem cortar fundo e se transformar numa ferida difícil de cicatrizar.



No calor da bronca, da mágoa ou do ressentimento, o melhor é tentar calar-se, controlar a língua mesmo. A fúria nos deixa transtornadas, faz o sangue subir à cabeça, perdemos a noção. Aí, despejamos sem pensar tudo que vem à nossa mente. Nessas horas, falamos de maneira muito dura, abrindo ainda mais a ferida.



Isso não significa que temos de engolir sapos e aceitar tudo sem contestar. Pelo contrário: nada como uma boa conversa para resolver qualquer conflito. Devemos simplesmente entender que usar bem as palavras não é apenas dizer a coisa certa no momento certo. Temos também de aprender a não falar a coisa errada nos momentos em que nos sentimos tentadas a fazer isso.



Por isso, pense muito bem antes de falar qualquer coisa. As palavras se tornam mais poderosas e eficazes quando usadas com cuidado, com calma. Afinal, alguém pode esquecer o que você disse, mas nunca esquecerá como você o fez se sentir quando pronunciou tais palavras.


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

De alma lavada


CARNAVAL 2010 - Amei sair na avenida!!!


É hoje o dia da alegria, e a tristeza nem pode pensar em chegar. Diga espelho meu, se há na avenida alguém mais feliz que eu? Diga espelho meu, se há na avenida alguém mais feliz que eu?



sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Retospectiva 2009 / Expectativa 2010

Pela primeira vez em 27 anos passei o reveillon mais "xôxo" da minha vida... Exausta, fadigada talvez. Mas graças a Deus ao lado de pessoas amadas, o que independente de qualquer tristeza, é o mais importante. 

Agradeço o ano que passou, acredito ter realizado muitos dos meus objetivos. Sem dúvida 2009 foi um ano diferente, em que muitos planos saíram do papel apesar das dificuldades. Família, amigos, trabalho, estudos, projetos, networking. Tudo de bom envolto por algumas frustrações e sofrimentos. Mas assim é a vida... uma luta diária com altos e baixos.

Acredito que tudo tem hora exata para acontecer... Não no tempo que eu quero, sim no tempo que Ele determina. Mesmo muitas vezez não entendendo o porquê da demora, o porquê comigo (ou com pessoas próximas), aprendi a não mais questionar. Passei a aceitar apenas. Creio que Deus, na sua infinita sabedoria, não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos...

Em 2009 compreendi que cada pessoa passa por aquilo que somente ela poderia passar. Prova, cruz, destino... Sei lá. Existem várias denominações. Prefiro dizer que cada um passa por uma "experiência de vida" da qual se souber aproveitar, extrairá uma tremenda lição (independende dea experiência ser boa ou ruim). Este ano presenciei o desemprego bem de perto, descobri um câncer na família... Mas me mantive firme e forte. Talvez em outros tempos tivesse caído em depressão por bem menos que isso. Hoje sou capaz de suportar mais a dor. Aprendi a viver um dia de cada vez. E com força sempre... Choro quando sinto vontade, grito quando sinto necessidade (nem que seja num saco, em silêncio...rs), mas não me permito mais ficar apática... Me tornei uma mulher bem resolvida! E sempre estou aqui para o que der e vier... E este é o momento! (Né mamãe, né Nilton, né vó?!). Um momento crítico, díficil e bem doloroso... Mas que tenho tirado de letra e ajudado bastante.

E assim inicio 2010... Acordando meia-noite com pingos de espumante, vozes (filha, namorado, sogra e alguns cunhados) ecoando "Feliz Ano Novo" e um intenso sambão. Quer sensação melhor?